«Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.»Fernando Pessoa
Sábado, 20 de Agosto de 2005
«O Principezinho»

"(...)
A raposa calou-se e ficou a olhar durante muito tempo para o principezinho.
- Por favor...Prende-me a ti! - acabou finalmente por dizer.
- Eu bem gostava - respondeu o principezinho - mas não tenho muito tempo.Tenho amigos para descobrir e uma data de coisas para conhecer...
- Só conhecemos as coisas que prendemos a nós - disse a raposa. - Os homens, agora, já não têm tempo para conhecer nada.Compram as coisas feitas nos vendedores.Mas como não há vendedores de amigos, os homens já não têm amigos.Se queres um amigo, prende-me a ti!
- E o que é preciso fazer? - perguntou o principezinho?
- É preciso ter muita paciência.Primeiro, sentas-te um bocadinho afastado de mim,assim, em cima da relva.Eu olho para ti pelo canto do olho e tu não dizes nada.A linguagem é fonte de mal-entendidos.Mas todos os dias te podes sentar um bocadinho mais perto...
(...)
E foi assim que o principezinho prendeu a si a raposa.E quando chegou a hora da despedida:
- Ai! - exclamou a raposa - Ai que me vou pôr a chorar...
- A culpa é tua - disse o principezinho. - Eu bem não queria que te acontecesse mal nenhum, mas tu quiseste que eu te prendesse a mim...
(...)
E então voltou para o pé da raposa e disse:
- Adeus...
- Adeus - disse a raposa. - Vou-te contar o tal segredo.É muito simples: só se vê com o coração.O essencial é invisivel para os olhos...
- O essencial é invisivel para os olhos - repetiu o principezinho, para nunca mais se esquecer.(...)"

[Error: Irreparable invalid markup ('<font color"#000066">') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<img src="http://meninadomar.com.sapo.pt/Digitalizar0003.jpg" width="470"><br><font color="#0000FF"> "(...)<br>A raposa calou-se e ficou a olhar durante muito tempo para o principezinho.<br> - Por favor...Prende-me a ti! - acabou finalmente por dizer.<br>- Eu bem gostava - respondeu o principezinho - mas não tenho muito tempo.Tenho amigos para descobrir e uma data de coisas para conhecer...<br> - Só conhecemos as coisas que prendemos a nós - disse a raposa. - Os homens, agora, já não têm tempo para conhecer nada.Compram as coisas feitas nos vendedores.Mas como não há vendedores de amigos, os homens já não têm amigos.Se queres um amigo, prende-me a ti!<br> - E o que é preciso fazer? - perguntou o principezinho?<br> - É preciso ter muita paciência.Primeiro, sentas-te um bocadinho afastado de mim,assim, em cima da relva.Eu olho para ti pelo canto do olho e tu não dizes nada.A linguagem é fonte de mal-entendidos.Mas todos os dias te podes sentar um bocadinho mais perto...<br>(...)<br>E foi assim que o principezinho prendeu a si a raposa.E quando chegou a hora da despedida:<br> - Ai! - exclamou a raposa - Ai que me vou pôr a chorar...<br> - A culpa é tua - disse o principezinho. - Eu bem não queria que te acontecesse mal nenhum, mas tu quiseste que eu te prendesse a mim...<br>(...)<br>E então voltou para o pé da raposa e disse:<br> - Adeus...<br>- Adeus - disse a raposa. - Vou-te contar o tal segredo.É muito simples: só se vê com o coração.O essencial é invisivel para os olhos...<br> - O essencial é invisivel para os olhos - repetiu o principezinho, para nunca mais se esquecer.(...)"</font><p><font color"#000066"> Antoine de Saint -Exupéry,</font><font color="#00FF00"><u>O Principezinho


publicado por Bia às 15:17
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Amigo a 1 de Setembro de 2005 às 23:45
leio e volto a ler, adoro este livro e particularmente esta parte. Obrigado por me recordares ;*lina
(http://acordomar.blogs.sapo.pt)
(mailto:linahopes@msn.com)


Comentar post






http://twitter.com/#!/BiaBia117
*

«Eu sou uma Menina do Mar...Um dia uma gaivota trouxe-me no bico...»
Sophia de Mello Breyner Andresen

--

*


--


mais sobre mim
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25

27
29
30
31


...

A minha cidade é Lisboa

Torre de Belém

--


Van Gogh

--


Van Gogh

--


Charles Burton Barber

--

--


Claude Thébergue

--

--

ARTIGOS

Bons amigos...

Boas Festas

De volta ....

...

Feliz Ano Novo

Curta meditação sobre o N...

Não é a aparência...

Carnaval

Livros...

Um Excelente 2014

FAVORITOS

«Auto Retrato de Van Gogh...

ARQUIVOS

Dezembro 2015

Agosto 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Agosto 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Abril 2005

O Gatinho «Poli»

--

«O tempo foge e a eternidade espera.»
João Paulo II


in Olhares
Links
Abrupto

"m'espanto às vezes, outras m'avergonho..."

Sá de Miranda;
A Kind of Magic
;
A luz do voo
;
Auxiliar de Memória;
Canto da Conchita;
Dicas;
Ecos do Tempo;
Errâncias
;
Hyperborea;
Segunda Vida
;
Quem tem boca vai a Roma;

Palavras ao vento;

Menina Marota

;

Navegar é preciso;

Gato Floquinho
;
e outros...

VISITAS

A partir de 19 de Outubro 2007

blogs SAPO
subscrever feeds